Follow:
Podcast

Labradoodle: Sua criação foi um erro? – Origem da raça

Labradoodles

Olá, bem vindos ao 15० Programa do nosso podcast! O episódio abaixo, Criação do Labradoodle foi um erro? – É um novo quadro quinzenal do Sobre Cães, onde vamos tratar de vários assuntos diferentes, todos relacionados ao mundo canino, com dicas, novidades, entrevistas e notícias, entre outras pautas sugeridas.

Nesse podcast, falamos sobre uma raça bastante curiosa e polêmica, o Labradoodle, criada na década de 80, pelo criador Wally Conron, a fim de atender à um pedido especial, que solicitava um cão hipoalergênico e de assistência ou terapia.

Aproveitamos o post abaixo para esclarecer ainda mais dúvidas sobre o Labradoodle. Ficou curioso? Dá um play para ouvir ou tire todas as suas dúvidas abaixo também!

Origem da raça: Labradoodle

Originalmente, o Labradoodle foi desenvolvido a partir do cruzamento de duas outras raças bastante conhecidas: o Labrador Retriever e o Poodle. Na época da sua criação, Wally Conron, seu criador, estava atendendo à um pedido especial, que consistiu em criar um cão que fosse hipoalergênico, mas que também pudesse servir como cão de assistência ou terapia.

Após muitos estudos, Conrou concluiu que o Labrador e o Poodle possuíam as características ideais para resultar em um cão com temperamento equilibrado o suficiente para servir como cão de assistência ou terapia e ainda ter a pelagem ideal para evitar alergias.

Embora ele tenha obtido sucesso nesse primeiro cruzamento, acredita-se que o experimento abriu uma brecha para que outros criadores passassem a fazer cruzamentos indevidos na intenção de comercializar raças apenas com a preocupação na aparência, e nem tanto pela saúde ou temperamento do cão.

Como o Labradoodle ainda não possuía um padrão único de raça, cada criador teve uma linha diferente de cruzamento e, justamente essa falta de coerência em torno da sua criação fez com que até hoje não se saiba ao certo o que esperar dele como cão.

Temperamento do Labradoodle

Na verdade, a intenção original era que o Labradoodle fosse um cão de temperamento equilibrado com energia suficiente para servir como cão de assistência ou terapia. Mas o fato é que hoje em dia, o Labradoodle raramente é utilizado para essa finalidade. 

Geralmente, a sua criação foi sendo direcionada às compradores particulares que procuravam cães de aspecto de “bicho de pelúcia” atraídos pela ideia de que não soltariam pelos. 

Com isso, na intenção de se obter a estética desejada, criadores irresponsáveis optaram pela infusão do Cocker Spaniel na criação, descuidando-se do temperamento do cão. O resultado foi um cão com um temperamento pouco equilibrado e com falta de concentração.

A aparência do Labradoodle

Como não há um padrão de raça definido e reconhecido, cada Labradoodle vai variar de acordo com os cruzamentos feitos na sua criação. Sendo assim, a sua aparência pode variar consideravelmente. 

Além disso, um Labradoodle de primeira geração é ainda mais complicado de prever como ele será ao atingir a fase adulta, visto que é um cão mestiço, em que as possibilidades são infinitas. 

O fato de não haver uma instituição que reconheça os pedigrees sob um padrão único de raça, faz com que os criadores de Labradoodles realizem seus cruzamentos sob seus próprios critérios, sem um objetivo comum com o resto dos criadores. 

Por isso, esta falta de homogeneidade entre criadores faz com que seja difícil descrever como é, de fato, um Labradoodle.

Se não é uma raça, o que é um Labradoodle?

O grande problema do Labradoodle foi ter se popularizado demais quando ainda não tinha sido estabelecido como raça. Isso fez com que seus criadores passassem a fazer os cruzamentos sem conhecimentos suficientes, com seus próprios critérios, criando os seus clubes e escrevendo os seus próprios padrões de raça. 

O resultado foi desastroso para a raça, visto que perdeu-se a intenção original de torná-la uma raça de cães hipoalergénicos com um temperamento apto para serem cães de assistência. 

Assim, em nome da estética foram feitas infusões de raças que desequilibraram o temperamento do cão, impedindo que ele continuasse a ser considerado um bom cão para as terapias ou assistência. Então, o Labradoodle acabou se tornando um cão de características instáveis e, com o tempo, foi sendo desenvolvido com misturas de outras raças diferentes do Labrador e do Poodle. 

Hoje, estes cruzamentos multigeracionais foram chamados de Australian Labradoodle, pois o Labradoodle nunca será aceito por nenhum registro de raças puras, já que se refere a um primeiro cruzamento de raças que já não existe mais, além de não haver um padrão claro que o defina.

Australian Cobberdog, o Labradoodle de raça pura

Na verdade, o Australian Cobberdog é o Labradoodle de raça pura, pois “Cobberdog” significa cão-amigo, em referência à missão original da raça. A diferença é que o Cobberdog é considerado uma raça pura por ter a sua própria sequência estável de ADN, um padrão único de raça e um registo de sementais e fêmeas de criação, sendo que apenas os criadores membros do MDBA podem emitir seus pedigrees.

A sua criação tem como critérios fundamentais a seleção de um temperamento apto para ser cão de terapia e assistência, bem como uma pelagem hipoalergénica.

Como foram muitos os criadores que sucumbiram à febre do Labradoodle e de suas más práticas que acabaram com a reputação da raça, surgiu a necessidade de criar uma nova denominação para o Labradoodle de qualidade: o Australian Cobberdog.

Related:

Postagem Anterior Próximos Posts

Sem Comentários

Deixe seu comentário